O cantor falou do período anterior à conversão

O cantor e compositor francês Chris Durán deu uma entrevista à Rede Super. O intérprete participou do programa Amplificador e falou de vários assuntos, entre eles o álbum Eloim, lançado ano passado pela MK Music e sua vida no período de conversão.

A despeito de sua carreira no meio não-religioso, Durán falou que tratava-se de um “encantamento”. “É o flautista que começa a tocar a música e a serpente começa a ficar hipnotizada e a se mover. Então, o mundo gerado pelas trevas é constituído de forma em que bilhões de pessoas dançam a música do encantamento daquele que rege. Até que um decida não mais dançar aquela música”.

Acerca de sua conversão, Durán afirmou que acredita ter sido uma escolha divina. “Deus escolhe. Jesus diz: ‘Mas, eu vos escolhi’. Então, eu estava trabalhando em Miami, em um ponto onde eu viajava para toda a América Latina, onde foi lançado o meu CD. E ali aconteceu que eu entrei em uma igreja evangélica, por acaso e por curiosidade”, afirmou.

Segundo Chris, seu interesse pela Bíblia iniciou-se naquele dia. “De repente, quando eu comecei a ler a Bíblia, eu dizia: ‘Isso aqui está errado’. Era como um espelho revelando a essência verdadeira de um cantor que o mundo dizia que era rico, maravilhoso, lindo, mas na realidade eu era pobre, cego e nu”.

“A imagem que Deus projetava de mim não era a mesma imagem que o mundo projetava de mim. E de repente me vi sujo, podre, com o espelho da verdade. Pois aí está, evidentemente, com a ajuda do Espírito Santo que mostrou minha verdadeira essência de um pecador que precisava se jogar nos pés do Senhor Jesus e se arrepender dos seus pecados”, disse o intérprete, que iniciou carreira solo evangélica em 2004, com o álbum Reverência, lançado pela Top Gospel.

Assista a entrevista de Chris Durán:

Compartilhar